Sustentabilidade

Este é o momento para investir na mobilidade sustentável

Diminuição da poluição no mundo deixou ainda mais evidente que a busca por transportes não poluentes é urgente

A diminuição da circulação de veículos nas ruas do mundo inteiro deixou ainda mais clara a importância de buscar alternativas de transportes não poluentes. O ar ficou mais puro e as pessoas ganharam mais qualidade de vida. Isto nos leva a perceber que, embora já haja algumas iniciativas neste sentido, não há mais tempo a perder.

Especialistas em estudos ambientais sobre a qualidade do ar dizem que a redução de poluentes na atmosfera, já nos primeiros dias de isolamento para contenção do novo Coronavírus a partir do final de março de 2020 representou a diminuição de 1 milhão de toneladas de Dióxido de Carbono (CO2) por dia na atmosfera, somente na cidade de São Paulo (SP). O elemento é um dos mais agressivos ao meio ambiente presentes em combustíveis fósseis. Os dados foram divulgados pela Agência Nacional de Energia.

Há alguns anos estão sendo planejadas algumas ações em diferentes pontos do globo para minimizar os problemas decorrentes da poluição. A União Europeia anunciou a proibição da produção de veículos com motor a combustão a partir de 2030. Estima-se que até o ano de 2040 metade da frota de veículos do mundo será elétrica. A Alemanha ainda foi além: tornará crime a utilização de carros com motor a combustão a partir de 2050. No Brasil, há em análise um projeto de lei que proíbe a fabricação de veículos movidos a combustíveis fósseis a partir de 2030 e a presença deles nas ruas a partir de 2040.

Menor número de veículos nas ruas torna ainda mais evidente a importância da qualidade do ar nos espaços urbanos. Foto: Pexels

Mas, será que precisamos esperar tanto assim? Patinetes e scooters elétricos, por exemplo, já são alternativas disponíveis, de excelente custo-benefício e inegável economia. Por quê não optar por eles desde já, incentivando a criação de uma nova cultura de transporte e os debates para a estruturação imediata das cidades pensando em alternativas sustentáveis de locomoção e transporte?

Autonomia e economia

Não é necessário ser um especialista em matemática financeira para concluir que, para o consumidor, o custo da energia elétrica em comparação ao da gasolina gerará, a primeira vista, uma economia significativa. Tanto scooters como patinetes elétricos podem ser carregados em qualquer tomada a um custo muito menor que o da gasolina, do etanol e do diesel, por exemplo.

Um patinete elétrico como o MBlue, por exemplo, tem uma autonomia de rodagem de cerca de 30 Km, com um gasto de energia elétrica estimado em  R$ 0,90. Um carro popular com rendimento médio de 10 km/litro de combustível gastaria cerca de R$ 14 de gasolina. O resultado da opção pelo patinete elétrico seria de uma economia de mais de 90% a cada 30km rodados. Sem falar na praticidade de não precisar ir a um posto abastecer. Você simplesmente deixa seu patinete ou sua scooter elétrica ligados na tomada, carregando, e quando precisar, vai para a rua fazer seu caminho. É ou não é a melhor opção?

Veículos sustentáveis, como a scooter elétrica (à esquerda), só visitam o posto de gasolina a passeio. Foto: divulgação 2Mobility

 

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *